Mapa do Carbono revela performance de cada país no quesito

Neste mapa, é possível visualizar nações que mais emitem gases de efeito estufa e as que estão mais vulneráveis aos impactos das alterações climáticas

 

size_590_poluicao-fabrica-sp-nova

São Paulo – Um mapa mundi interativo e muito dinâmico – lançado durante a Cúpula do Clima, em Nova York – revela a performance (causas e riscos) de cada país no quadro das mudanças climáticas.

Neste Mapa do Carbono, é possível visualizar as nações que mais emitem gases de efeito estufa e as que estão mais vulneráveis aos impactos das alterações climáticas.

Além disso, o aplicativo exibe as responsabilidades de cada país frente ao aquecimento global e permite comparar área, população e riqueza das nações.

As informações são exibidas de forma clara conforme a área dos países aumenta ou diminui, dependendo da métrica escolhida.

O primeiro mapa é exemplo disso: ela mostra como cada região ou nação está em termos de emissões históricas – observe que os países ricos aparecem inflados, como o Reino Unido, revelando assim seu papel na Revolução Industrial movida a carvão.

Outra abordagem possível pelo mapa é a correlação de métricas. Isso significa que você pode aplicar mais de um filtro ao mapa para ver a relação entre eles por meio da distorção do tamanho dos países e de diferentes cores.

As duas imagens seguintes exemplificam, respectivamente, a correlação entre a pegada de carbono e crescimento populacional (baixa) e entre crescimento populacional e pobreza (muito alta).

No entanto, o Mapa do Carbono não exibe pequenas ilhas insulares – grandes prejudicadas pelo aumento do nível do mar – porque leva em conta o número total de pessoas expostas em cada categoria, e não a proporção.

Como as populações das ilhas são pequenas, as nações não aparecem no cartograma.

Produzido originalmente pelo jornalista Duncan Clark e pelo programador e matemático Robin Houston para a competição Apps for Climate 2012, do Banco Mundial, o mapa foi adaptado recentemente para o The Guardian e lançado durante a Cúpula do Clima, realizada no final de setembro na sede da ONU, em Nova York.

(Fonte: Exame).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s